Como todo o álbum, L'Avventura não pode ser diferente.
Por ser de "A Tempestade", a letra nos leva novamente os pensamentos humanos e sentimentais, o lado triste  contra o lado esperançoso. A letra nos passa a esperança de crer, e nos traz muitas mensagens de otimismo, muito poética, e muito verdadeira. É sem dúvida, um dos grandes trabalhos de Renato. Segue-se a letra e interpretação:

Quando não há compaixão
Ou mesmo um gesto de ajuda
O que pensar da vida
E daqueles que sabemos que amamos?

Aqui, vemos a ideia de decepção e descrença nas pessoas.
Quando não há gestos de ajuda e demostração de compaixão, o que iremos pensar de nossa existência e daquelas pessoas que confiamos e acreditamos que amamos? O que pensar das pessoas que nos amam, mas não demonstram ajuda e/ou compaixão?

Quem pensa por si mesmo é livre
E ser livre é coisa muito séria
Não se pode fechar os olhos
Não se pode olhar pra trás
Sem se aprender alguma coisa pro futuro

Nessa parte, contém uma das frases mais belas de Renato, Quem pensa por si mesmo, é livre, ou seja, quem pensa por si, pode ir longe porque não se prende à nada e nem à ninguém! Porém, ser livre algo muito sério! Ser livre é o impedimento de fechar os olhos e fracassar, o impedimento de olhar pra trás e desistir. Ou seja, ser livre não pode depender do passado, pois sempre temos que aprender algo pro futuro. E viver de passado, não nos prepara ao futuro.

Corri pro esconderijo
Olhei pela janela
O sol é um só
Mas quem sabe são duas manhãs

Aqui, podemos crer que a pessoa, ou Renato, tem seu próprio esconderijo, tem seu refúgio... Ele olha pela janela, e chega a conclusão que o Sol é um só! Mas que pode haver duas manhãs... podemos levar em conta, que a oportunidade é única, mas existem duas opções... E avançando ainda mais o raciocínio, podemos crer que em seu refúgio, ou em sua própria mente (ou interior), ele chega a conclusão que há duas maneiras de chegar em um só caminho, ou então, que as coisas são únicas, mas que existem dois modos de se ver - sempre.

Não precisa vir
Se não for pra ficar
Pelo menos uma noite
E três semanas

Aqui, vemos a esperança da vinda de alguém para ele.
Ele acredita que não há sentido na pessoa vir até ele, e não ficar, pelo menos uma noite e três semanas, ou seja, ficar um pouco, ou mais do que pouco.

Nada é fácil
Nada é certo
Não façamos do amor
Algo desonesto

Essa frase, eu sinceramente, creio que ele dá à essa pessoa.
Nada é fácil e certo, e não é correto fazer do amor algo desonesto. Não há sentido em vir e ficar, ou vir e nem ficar, não é nem fácil e nem certo!

Quero ser prudente
E sempre ser correto
Quero ser constante
E sempre tentar ser sincero

Ele quer ser cauteloso, quer estar certo, quer ser sincero e constante nesse amor, que parece ser desonesto.

E queremos fugir
Mas ficamos sempre sem saber

Aqui, creio que seja um pensamento próprio dele.
Eles querem fugir, mas sempre ficam sem saber para onde, ou o porquê.

Seu olhar
Não conta mais histórias
Não brota o fruto e nem a flor

O olhar, já não é o mesmo, e disso, podemos crer que nem os atos são os mesmos...
“Quando não há compaixão ou  mesmo um gesto de ajuda...” É aqui, que creio eu, isso se completa. Essa terceira pessoa, diz que o ama, mas não demonstra amor e nem compaixão ou ajuda. Os atos dela, como o próprio olhar, denuncia a falta de amor.

E nem o céu é belo e prateado
E o que eu era eu não sou mais
E não tenho nada pra lembrar

Aqui, vemos que tudo o que existe, ele passa a perceber de um modo diferente, como o céu que deixa de ser belo e prateado. Vemos que ele mesmo muda, e os próprios sentimentos e lembranças – boas ou não – deixam de existir, abandonando-o.

Triste coisa é querer bem
A quem não sabe perdoar
Acho que sempre lhe amarei
Só que não lhe quero mais

Vemos a razão da mudança da terceira pessoa.
Ele lhe fez algo, e ela por sua vez, não o perdoou (deixando aqui, uma das melhores frases do disco), e podemos notar, que ele já não lhe quer mais, por tal mudança, e que mesmo assim, ainda continuará amando-a.

Não é desejo, nem é saudade
Sinceramente, nem é verdade

Vemos a contradição sentimental que ele sente. Não é o desejo, nem a saudade, e nem é verdade o que ele sente. Talvez ele ainda à quer.

Eu sei porque você fugiu
Mas não consigo entender
Eu sei porque você fugiu
Mas não consigo entender

Ele entende, que ela fugiu porque ele à magoou, ele sabe que ela fugiu sem ele (“...E queremos fugir...”), e mesmo assim ele não entende, afinal, ele à quer bem, mas ela não sabe o perdoar.



Analisado e interpretado por: Eduardo Rezende


13 comentários to "Interpretação: L'Avventura"

Postar um comentário

Comentem aqui o que acharam ou o que pensam sobre!