Para informações de introdução, acesse esse link que direcionará à Introdução de "Metal Contra As Nuvens".

A letra, como sabemos, é muito extensa, e como o blog segue apenas um tipo único de análise (colocando-se a letra e comentando, e analisando as letras) aproveitei que a letra já é dividida em quatro partes (notadas na letra pelos I, II, III, IV, e na música pela mudança de ritmo), analisarei com base nelas.
Espero que gostem, comentem e divulguem o blog.
Ele vive da pulsação de cada coração Legionário que ainda vive.

I
Não sou escravo de ninguém
Ninguém, senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E, por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz.
Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais.
Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.
Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição,
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra tem a lua, tem estrelas
E sempre terá.

Em toda a música, vemos a presença do medievalismo. São mensagens de crítica carregada e escondida nas entrelinhas de uma música que fala de amor, que fala de conquista, que fala de vitória e honra.
"Metal Contra as Nuvens" é uma música que trata a Era Medieval, mas não se aprofunda, ficando apenas nas bordas, adentrando apenas outras mensagens, escondidas e de grande importância.
Renato começa dizendo que não é escravo de ninguém, que ninguém manda nele e que ele é dono de seu próprio território. Levando em conta a crítica podemos observar que ele em outras palavras, em todos esses versos poemáticos, mostra que não acata ordens, não obedece, que tem os seus valores.
Fatos interessantes que podem ser levados em conta é o fato dele mencionar o metal, o raio, o ouro etc. O metal até então não é especificado (ficará mais à frente), e ele menciona o brasão (utilizado na época como identificação de cada família), além de mencionar outros objetos e símbolos da época medieval. A lua, a estrela, que hoje são nada mais do que normais, mas no período, de extrema importância simbólica e admirável.

II
Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa.
Quase acreditei, quase acreditei
E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.
Olha o sopro do dragão...

Aqui a parte crítica é mais forte, e sem tantos enfeites. O máximo que temos é a troca de símbolos como um meio de ocultar a a crítica, mas ainda assim, é notável.
Sendo bem direto, ele quase acreditou nas promessas de outra pessoa, e quando deu por si, notou que só havia fome e destruição, ele perdeu todos os bens, e repete, que QUASE acreditou. Isso podemos levar de forma direta, o bom exemplo que o governo nos dá. Collor (presidente da época) com seu rosto e palavras simpáticas fez com que todos acreditassem que ele seria O presidente, mas isso foi provado que não seria, quando todos deram por si e viram que QUASE acreditaram em tais promessas... Quase acreditaram que o rosto e as palavras poderiam mudar algo, e não roubar e tomar o que é deles.
Eis então, a parte que ele dá a resposta.
Existem os tolos, existe o ladrão. Os tolos votam, e o ladrão rouba o que é dos tolos, ele se alimenta e vive do que é roubo, e como há os que não confiam nesse ladrão disfarçado de boa-índole, guardam os tesouros próprios, caso ele esteja mentindo (como esteve).
O "sopro do dragão" que é mencionado e repetido na música, pode ser levado como a arma do inimigo. O Dragão na música seria o sistema errôneo e o governo corrupto, e sua arma seria tal sopro. Assim como a espada seria do guerreiro.

III
É a verdade o que assombra
O descaso que condena,
A estupidez, o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais
Tenho os sentidos já dormentes,
O corpo quer, a alma entende.
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos.
Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.
Não me entrego sem lutar
Tenho, ainda, coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então.

A primeira parte diz respeito aos sentimentos de todos e aos atos de todos. A verdade assombra a sociedade, o descaso de um pelo outro condena, e a estupidez é o ponto X, pois é ela que destrói o meio em que o homem vive. Ele vê tudo o que se foi, sabe que muita coisa não existe mais, e sente os sentidos dormentes, o corpo quer lutar, e alma entende o motivo e o desejo de lutar, essa é a terra-de-ninguém! Uma terra de disputa constante onde ninguém quer governar, ele sabe que deve resistir, mas seu corpo quer e sua alma ainda entende. Ele quer a espada em suas mãos. Ele quer o motivo do título da música. Ele quer ver o seu metal (sua espada) contra as nuvens. Pois é com a espada erguida, que o guerreiro se mostra vencedor, e é nesse momento que ele não se entrega sem lutar, ele ainda tem coração, não se rende, e sabe que o inimigo cairá.

IV
- Tudo passa, tudo passará...
E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar.
E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.
O mundo começa agora
Apenas começamos.

A música trata o tempo todo da vitória. Na simbologia à primeira vista, uma vitória de um guerreiro com território invadido, um guerreiro que quer justiça, que sabe seus limites, mas insiste e consegue ganhar. Já nas entrelinhas, não vemos tanta mudança. É um povo guerreiro, que tem seu território constantemente governado por pessoas erradas. É um povo que clama e corre por (e da) justiça, que sabe os próprios limites e deficiências, mas insiste em lutar contra esse dragão! Essa besta-fera que se chama injustiça, ignorância e todas as outras filhas e filhos de um governo corrupto.

"Tudo passa, tudo passará" são as palavras de esperança de tempos melhores, que Renato nos deixa complementando essa linda música, com versos simples e diretos. Até nossa história chegar ao fim, teremos coisas pra contar, e até lá, amos viver incansavelmente um dia de cada vez, pois há ainda muito o que fazer, não devemos olhar pra trás pra nos arrependermos ou por saudade. Toda a mudança é necessária. O mundo começa agora, quando a mudança chega, começa no outro dia, que é um dia diferente... E nós apenas começamos, cada dia de cada vez, como guerreiros que buscam ter seus próprios metais, contra as nuvens, derrotando o dragão dos medos e modos próprios.
___

Análise e interpretação: Eduardo Rezende


74 comentários to "Interpretação: Metal Contra As Nuvens"

  • Renato Russo não quis também dizer que o Brasil "vivia" como se ainda estivesse na Idade Media comparado com outros países Desenvolvido na década em questão?

  • É um ótimo ponto de vista, que nos faz pensar: será que vivíamos ou será que vivemos? De qualquer forma... será que conseguiremos abrir a batalha, conquistar o êxito e fazer o metal ficar contra as nuvens?

  • Eu esqueci de dizer também que adorei o site! parabéns!

  • Pelo que já li, Renato compôs a música bem no período do governo Collor, que além de ser lembrado como um dos mais corruptos da História, é tb marcado pelo sequestro da poupança, uma das formas mais populares de guardar dinheiro. Naturalmente, assim como muitas pessoas, o grupo se encontrou sem um tostão. Imagine... eles produzindo um disco sem dinheiro. Sem contar a ponta do iceberg aparecendo da podridão do Collor e sua "equipe". E foi daí, que o Renato comparou a valentia de um cavaleiro templário em guerra com um sistema corrupto e sujo. Acredito aind que esta música pode ser considerada nossa "Starway to heaven", fala aí? Bjs e obrigada por compartilhar suas ideias.

  • Um bom ponto de vista, que nos faz ainda ter a ideia do que eu disse lá em cima. rs. Um governo corrupto, um dragão que nos ameaça, e um cavaleiro, que de repente vê que perde tudo, casa, emprego, princesa... Mas ele quer lutar, ele não perde a honra, e consegue! rs. Quem dera tivéssemos tais atos, não? Eu quem agradeço, seja bem vinda ao blog sempre!

  • Obrigado Anonimo! Seja bem vindo ao blog, e sempre venha comentar!! rs.

  • Renato também fez alusão a nossa força ,a fortaleza que há em cada um de nós quando diz: eu sou metal,raio relâmpago e trovão!

  • Considero pertinente o comentário mas entendo que esta música fala da luta de Renato Russo contra o vírus HIV ( Não sou escravo de ninguém. Ninguém, senhor do meu domínio...)Há várias estrofes que se coadunam com tal pensamento: " sei o que devo defender E, por valor eu tenho
    E temo o que agora se desfaz( a vida)..." Não me entrego sem lutar
    Tenho, ainda, coração
    Não aprendi a me render
    Que caia o inimigo então.(VÍRUS HIV).Por falta de espaço não poderei comentar toda música, mas lanço a ideia a todos.Analisem.
    Ronaldo Prado
    Teresina-PI

  • Acho interessante seu modo de pensar, e poderíamos sim, claro, analisar friamente por esse lado, mas ainda crendo no caráter do álbum, e em tantas outras coisas explícitas na música, eu ainda levo-me a imaginar que o verdadeiro sentido seria esse (expresso em análise), mas não dispenso o seu pensamento, é de grande valia.
    Seja sempre bem vindo, até o mais próximo!

  • Olá Eduardo, parabéns pelo site e interpretação. Metal contra as Nuvens é na minha opnião a melhor música da LU. Na época eu tinha 10 anos, uma criança diferente, que era completamente viciada em analisar e interpretar letras de música. Me lembro que minha interpretação foi a mesma que a sua. Na sexta série - qdo estudamos a era Medieval - pedi para professora se poderia levar uma musica na sala pra discutirmos. É claro que pode ter sido demais para aquelas crianças, mas rendeu boas discussões e pq não, uma boa influência musical. Bons tempos esses onde sentados no meio fio discutíamos música. Hj alienados, o jovens discutem se querem Tchu ou Tcha.

    :)

  • Realmente essa letra é fantástica e você escrevendo isso, me deixou lendo lembrando de um tempo, que como diria Renato, não voltaria mais. Um tempo também, de se sentar nos fins de tarde e discutir e pensar sobre as letras...
    Quanto aos jovens atuais, desculpe, eles não discutem nada, apenas são alienados. O que ouvem não são músicas, são ritmos musicais. rs

  • Como disse o Fer pra mim a melhor música da Legião, confesso que isso de analisar letras d músicas é novo pra mim, apesar de ter gostado muito disso, parabéns pelo blog. Como é meu primeiro contato gostaria de saber se tem músicas do Aborto Elétrico, tenho pesquisado muito ultimamente mais é complicado encontrar esse tipo de música, se souber de algum site que tenha esses download's me ajuda aí. Vlw abraço e parabéns novamente.

    Toni.

  • Olá caro Toni!
    Analisar músicas é algo de extrema importância. Muitas vezes não percebemos, mas só de ouvirmos e falar "essa música é quase tudo pra mim" ou como você disse "essa música é a melhor da Legião", já é uma análise, não profunda, mas uma análise própria da música.
    As interpretações do blog, são feitas com bases e seguimentos que acarretam à tais pensamentos, e claro, toda a opinião é bem vinda, deixo meu muito obrigado.
    Quanto às músicas, infelizmente muita coisa se perdeu, das músicas do aborto, o que restam são as versões - como Veraneio Vascaína do Capital ou até outras cantadas pela Legião futuramente - que foram adaptadas, mas vídeos do Aborto mesmo, temos poucos, pra não dizer nada.
    Agradeço por tudo, seja sempre bem vindo!
    Meu muito obrigado!

  • Interpretação da música Metal Contra as Nuvens de Renato Russo
    Eu tenho uma visão católica dessa música, não querendo julgar ou condenar Renato Russo pela letra, mas há certas coisas que acredito como por exemplo: o inimigo de Deus pode ter usado Renato para fazer essa música, e por favor não pensem que estou maluco ou coisa parecida porque só entenderá essa minha interpretação quem vive para adorar o Senhor Jesus. Eu não quero dizer que sou perfeito, mas acredito que Jesus Cristo me revelou essa interpretação... aqui vai algumas partes da música interpretada...
    Não sou escravo de ninguém
    Ninguém, senhor do meu domínio - É como se ele não tivesse religião nenhuma, não seguisse Deus e só ele(Renato)é que soubesse o que fazer...
    Por Deus nunca me vi tão só
    É a própria fé o que destrói
    Estes são dias desleais - A fé em Deus nunca falha, em momento algum, seja qual for a dificuldade...
    Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão - Apocalipse 22:13 “Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro, o princípio e o fim.”
    Minha terra é a terra que é minha
    E sempre será
    Minha terra tem a lua, tem estrelas
    E sempre terá - Aqui é como se estivesse falando por influência do inimigo de Deus coisas da Nova Era...Lua com estrelas - Simboliza na Nova Era a capacidade do homem em transportar-se através do cosmos; fala de astrologia; de uma nova dimensão cósmica que o homem deve buscar; da interação entre o homem e o Universo. Utilizado também por feiticeiros, há vários e vários anos...
    E, por honra, se existir verdade - (aqui ele questiona o que o Senhor disse na sua 1ª vinda aqui na terra: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida"...
    Existem os tolos e existe o ladrão
    E há quem se alimente do que é roubo
    Mas vou guardar o meu tesouro
    Caso você esteja mentindo.
    Olha o sopro do dragão - sopro do dragão - o dragão na Bíblia quer dizer Satanás,o inimigo de Deus que Renato menciona: olha o sopro de Satanás...
    Eu vejo tudo que se foi
    E o que não existe mais - aqui na minha humilde opinião menciona novamente a fala do inimigo de Deus,ou seja, quem é que vê tudo que se foi, e o que não existe mais? Satanás estava sempre presente na vida dos homens, desde o tempo de Adão e Eva...
    Tenho os sentidos já dormentes,
    O corpo quer, a alma entende. - É como se dissesse que o corpo pode fazer tudo, prazeres carnais, bebidas, que a alma não sofrerá, ou seja ela entende...
    Bom, essa é minha opinião de interpretação da música de Renato Russo - Metal contra as nuvens, mas não estou condenando ninguém (Renato Russo) ou vossas interpretações, afinal só Jesus Cristo pode julgar as letras desse cantor e saber o que realmente ele queria falar no seu coração, eu não sou digno de julgar ninguém essa é apenas uma humilde interpretação dessa música de um cristão católico...Se alguém concordar comigo tudo bem, se não tudo bem também, minha intenção era apenas passar pra vocês minha opinião...Um abraço bem grande para todos, a paz de Cristo e o amor de Maria! (Jonas - Juazeiro do Norte - Ce). 08/12/12.

  • Olá Jonas!
    Infelizmente terei que descordar dos pontos citados. Claro, que cada um pensa da forma que julga necessária, mas temos que ver também que existem pontos que devem ser analisados SIMBOLICAMENTE e não analisados de uma forma literal nos prendendo à nossa realidade, seja ela por fé em algo divino ou por seus seguimentos. Quanto à ter-se inimigos, o único inimigo contido na música seria o sistema governamental, Deus e o suposto demônio nada influenciariam nessa música, porque Renato também era cristão - nada mais nada menos, afinal, você disse que só Cristo pode julgar (?). Se Renato quisesse falar de Deus, falaria explicitamente como cita em diversas músicas, ele nunca negou sua crença em Deus, e essa música de nada tem sentido relacionado à.
    Julgo que não necessito explicar "teoricamente" todos os pontos que você citou, afinal a minha análise - essa do texto acima que você leu - é justamente algo baseado em pesquisas políticas, culturais, entrevistas, livros, tudo o que possa enriquecer as análises contidas. Qualquer dúvida, me adicione ou mande e-mail e os retornarei de bom grado.
    Até a próxima, seja bem vindo.

  • Olha, muito bacana e muito bem escrito sua opinião. Eu já tive acesso a arquivos que relatavam as dificuldades que o Renato Russo teve na época do Color, como disseram acima. Aliás dizia também que o Renato Russo estava guardando dinheiro pra comprar um apartamento no Rio e teve muitos problemas. Ele ficou revoltado, abusou do uso de metáforas da bíblia para demonstrar de uma forma inigualável a esperança e a crença de dias melhores

    Não sou escravo de ninguém
    Ninguém, senhor do meu domínio (ninguém é dono dos domínios dele, literalmente, de seu dinheiro ganhado com esforço)

    E, por valor eu tenho
    E temo o que agora se desfaz. (perder suas conquistas, medo de não conseguir mais comprar o apartamento)

    Viajamos sete léguas
    Por entre abismos e florestas (trabalhamos muito, nos esforçamos)

    Quase acreditei na sua promessa
    E o que vejo é fome e destruição
    Perdi a minha sela e a minha espada
    Perdi o meu castelo e minha princesa. (críticas diretas ao governo Collor)

    Boa parte da música, principalmente o final mostra a esperança que ele tem por uma nação mais justa e correta. Ele quer sua espada de volta.

    Bom, não alongarei mais, pois pra mim após ter acesso a essas informações ficou muito clara a letra, é uma pena eu não ter fontes para lhes fornecer. Boa Noite!

  • Ainda creio que apesar destas fontes que você citou, Renato pode até ter levado por esse lado, mas vindo dele, e do álbum em questão, creio que se refere realmente ao governo, de uma forma muito simbólica.
    Muito obrigado pela participação, e apesar de tudo, creio que fica um pouco vago não termos devidos acessos ou a certeza de que isso é verídico ou não, mas de qualquer forma, meu muito obrigado e os desejos de retorno. Até breve!

  • Ótima interpretação, costumo sempre buscar analises de musicas que me chama atenção principalmente do LU..Comecei a ouvir LU. com 12 anos incentivado por meu primo eu tenho 15, agradeço muito a ele pois o LU. mudou minha forma de pensar e minha maneira de agir as letras dele sempre nos revela algo que faz sentido,coisa que é dificil de ser encontrada hj (uma boa música),hj quando eu leio sobre a era do rock em Brasilia eu leio sorrindo eu ao mesmo tempo triste em saber que os jovens do nosso país ja lutaram pelos nossos direito e hj não estão nem aí para o nosso direitos, pra quem vota, pra quem é corrupto.Então o LU. foi muito importante para o país e hj mesmo com a banda está desativada a 16 anos ainda é lembrada, mais não do jeito que merecia ser.

    gostei muito do seu blog vou passar pra galera que gosta tbm..VLW

  • Meu nome é jackson eu q postei ai em acima que comecei a ouvir com 12 anos

  • Olá Jackson, só tenho à concordar! Um comentário realmente acrescentador.
    Muito obrigado, e aguardarei você e seus amigos!
    MUito obrigado, muita Luz!!

  • OLÁ!
    Gostei do seu ponto de vista,mas há um detalhe: O que o metal pode fazer contra uma nuvem?É um alvo quase que inatingível.
    sou forte,resistente (sou o metal) mas e a nuvem seria"fumaça" .
    Vou passar por ela,mas não tenho ainda uma forma de destruí-la.
    Se possível, gostaria que comentasse esse ponto em específico,aguardo.
    De qualquer forma vale a ideia de nunca desistir,de ser implacável e incansável.
    Até a próxima!

  • Olá querido Anônimo.
    Quanto ao seu pensamento, é uma ideia interessante, uma vez que a nuvem seria o ideal jamais atingido, e a espada um modo de guerra ou luta, ou instrumento para conseguir tal ideal. Ainda acho, que em tudo, a vitória de estar com a espada em mãos, lutando por seu castelo, princesa e lealdade é mais do que tudo - mais do que até, os pontos religiosos.
    Obrigado, volte sempre! Logo teremos surpresas.

  • Olá Eduardo! Meu nome é Marcelo Moraes e eu gostaria de deixar a minha opinião sobre a sua interpretação. Para começar eu quero dizer que ela foi ótima e só somou á minha própria interpretação. Acredito que essa canção tem uma força muito maior do que todas as outras, religiosas ou não, que eu já ouvi em toda a minha vida. Ela deveria ter uma importância muito grande para os brasileiros , pois relembra que nós não podemos nos deixar abater pela corrupção, (ou qualquer outra barreira) explícita vista a cada dia. Nós temos acreditado nas promessas e estamos vendo a destruição. Perdemos o nosso poder de opinar e estamos sendo obrigados a aceitar o que o governo nos propõe. Vivemos a tal da "ditadura disfarçada". Como uma canção tão forte não faz sentido para muitas pessoas? Sinceramente não entendo isso. Será que o poder do sopro do dragão foi suficiente para cegar o que o povo tem de mais importante, que é o direito de expor LIVREMENTE suas opiniões? A corrupção está aí e ela assombra. O descaso do povo os condena. A nossa estupidez nos dará o golpe final? Não! Temos que resistir! Força Brasil! (Me perdoe o desabafo... =.D) Parabéns pelo seu trabaho!

  • Olá! Seu ponto de vista e interessantíssimo,não só nessa mas em todas as suas análises. Parabéns pela iniciativa!
    Se essa essa a sua forma de estar com a espada em mãos,é a melhor forma, você luta por seus ideais e ainda influência muita gente. Que sejamos bons templários.
    Aguardo as novidades! Ysa

  • Marcelo MDS, muito obrigado por um ponto que só tenho à concordar, ponto este, totalmente favorável e recomendável.
    Infelizmente esse é o nosso mundo, onde o que é demais nunca é o bastante. Mas nós iremos conseguir mudar tudo isso um dia! O Brasil é o país do agora!

    Obrigado por tão enriquecor comentário, e espero sempre contar com sua presença!

  • Ysa, muito obrigado por cada palavra acolhedora! Espero sempre poder contar com você aqui, o meu muito obrigado e o meu desejo de vosso retorno!

  • Eduardo,
    Parabéns pelo Blog.
    Interpretação corretíssima de Metal contra as nuvens.
    Para mim, uma das letras mais ricas da Boa e Velha Legião.
    Eu, como muitos jovens da época amava Renato Russo e suas letras eternas. Os primeiros quatro albuns da banda eu sabia TODAS as letras de cor (até Eduardo e Mônica e Faroeste Caboclo).
    A única coisa que me deixava desconcertado era quando ouvia o próprio Renato Russo explicando suas músicas, porque ele era terrível nesse sentido. Eu sempre tirava conclusões altamente profundas e poéticas da prosa desse trovador magnífico, mas ele parece que fazia questão de desmitificar tudo (rsrss). Quando ele disse que Metal contra as nuvens era uma metáfora sobre o governo Collor fiquei 'fulo' da vida, porque uma letra tão bonita e marcante ligada a um fascínora daquele...
    Bom, mas isso não tira o brilho da canção, é claro. Aliás, se vocês analisarem por outro prisma, verão que a letra corresponde praticamente a um roteiro de filme ou romance literário, pois tem início, meio e fim. Quando ouço, me sinto como se estivesse assistindo ou lendo algo muito bom!
    No ano passado tive uma experiência de trabalho desagradável, envolvendo jogo político e traição (além de um problema de saúde p/ agravar) e um trecho da música particularmente me deu forças: não me entrego sem lutar, tenho ainda coração, não aprendi a me render, que caia o inimigo então (está no meu papel de parede do notebook).
    Abraços a todos e Salve a Legião!

  • Eu estou APAIXONADA pelo seu blog...PARABÉNS....sou muito fã do Legiao e é maravilhoso conhecer o significado de suas musicas...OBG

  • meu Deus! esse é o melhor blog que eu ja conheci em toda a minha vida! Legiao é minha vida, e seu blog é a esperança que eu procurava! PARABENS!!!!!!!!

  • Esse disco foi dedicado a Ordem dos Cavaleiros Templários, tanto é que nesse disco tem uma musica chamada "A Ordem dos Templários" a capa do disco tem toda uma simbologia Templária. fala da traição, perseguição e massacre da Igreja Católica a essa ordem na idade média.

    Links para pesquisa(copiar e colar):

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Ordem_dos_Templ%C3%A1rios

    http://www.demolaypb.com.br/index.php?pg=trabalhos&id=23

  • Já tinha percebido o teor medieval dessa música, mas essa sua interpretação é genial! No entanto, apesar de ser notável o caráter simbólico, as figuras de linguagem e as súbitas mudanças de melodia que acompanham o sentido de cada estrofe, não poderia deixar de considerar o ponto de vista de Jonas [8 de dezembro de 2012]. Como cristão católico ele está certíssimo em suas colocações, porque tais símbolos querem dizer exatamente aquilo que ele expressou. À luz da religião cristã e da Sagrada Escritura existem vários sentidos ambíguos escondidos nas estranhas da música, ainda que ela não tenha uma intenção espiritual como você propôs em sua interpretação. De qualquer modo, esse universo mítico e pitoresco de "Metal contra as nuvens", uma mistura de odisséia grega, com cultura pop e trovadorismo sentimental é o que há de mais encantador e bonito de ser ver.

    Abraço,


    Livia ^^

  • Li O Livro Renato Russo de A a Z, e percebi que é citado a Palavra Estória ao invés de Historia na ultima parte de Metal contra as nuvens.

    Procede?

  • Gente. O disco 5 fala sobre DROGAS. Metal nesse caso ele fala de HEROINA. Fala da guerra dele contra drogas. Medieval? De one tiraram isso. E droga levando casa, esposa sonho e td. O CORPO QUER A ALMA ENTENDE. Entenderam? Vicio maior q a vontade da alma se libertar... q viagem medieval...

  • impecável. boa analise, conheci seu blog hj e vi diversas analises. sou admirador do trabalho feito pelo Renato Russo.
    parabéns pelo trabalho

  • viagem é essa Flora hehehe

  • interessante todos os pontos de vista porem acho que o Renato era um cara a nossa frente, um entusiasta que viu que o Dragão ia dominar logo e está dominando estamos debaixo do Imperio Chines que tem por simbolo o Dragão .... rsrsrsrs, engraçado né é citado a todo momento uma era medieval comtemporanea.....rsrsrsrsr

  • Na realidade as musicas do Legião não tinham um significado próprio, Renato criava suas canções, mas o significado dela depende da interpretação de cada pessoa, o que ela acha melhor para si mesmo.

  • Sei não. Respeito a opinião de todos aqui, mas vejo na letra dessa música um toque de ateísmo. Ou no mínimo algumas pinceladas de agnosticismo.

  • Desculpe a expressão, mas que interpretação FODA! Cara, eu comecei a me viciar nessa música agora há pouco, ficava ouvindo a letra tentando procurar algo romântico, mas realmente percebi que era mas uma música criticando algo. Não entendia o porquê de "Metal contra as nuvens", mas você deu uma clareada muito boa no meu entendimento. Vocês são feras!

  • A letra dessa música é genial, aliás, as músicas da Legião Urbana são ótimas. A única coisa que eu não gosto nessa música é que ele muda para um ritmo mais acelerado no meio da música. Seria legal se ele mantivesse a melodia do início durante toda a música, aí sim ficaria mais linda do que já é (eu acho). Show de bola a sua análise, é de músicas assim que eu gosto. Não ouço música só por ouvir, mas sim para sentir e interpretar a letra.

  • Galera, o segredo mora em escrever letras que possam atingir um número máximo de interpretações, daí quem ouve encaixa com seu pensamento. Isso é muito óbvio, assim se alcança um número maior de admiradores. Por exemplo, vi acima o rapaz colocando a questão do ateísmo em sua interpretação, eu também concordo com ele, eu enxerguei no mesmo ponto. Mas também podemos encaixar várias outras interpretações!

  • É verdade,são varios os caminhos a seguir quando se trata da legião urbana,que sem duvida foi a ultima banda poetica que houve.
    Quando se fala de Renato,fica sempre suspenso no ar suas antiteses e metaforas,pois metal contra as nuvens faz alusões a varios pontos de vista,uma constante crise entre o bem eo mal,o certo eo errado,a crença ea desilusão.
    Metal sobre a nuvem é a ansia de vencer,de querer lutar e nuncq se entregar,sou natural de Brasilia e vi todo o movimento da minha geração acontecer,pena que hoje a midia massificou a mente de muitos e trocou a geração coca cola pela geração red bull,aonde hoje reina o sopro do dragao,a violencia,a decadencia,a violencia grqtuita,a pornografia explicita nas novelas,este éo sopro do dragao.
    Feliz de nos que vivemos os anos oitenta,hoje vivo em Portugal com o desejo de voltar ao meu pais,retomar sonhos,rever amigos,fazer fogueira,e ver nao mais o sopro do dragao,mais sim a fumaça da fogueira subir aos ceus e nos fazer lembrar dos grandes classicos e bandas da epoca tipo,Mel da terra,14 Biz,plebe rude e por ai a fora...Paz e amor e parabens pelo Blog,isso ajuda a conter as lagrimas quando a saudade bate forte...Forte abraço aos meus filhos.que os amo demais e sofro por eles,aos meus amigos,familiares ea ti pela iniciativa de manter viva a l egiao e o grande poeta...E viva Renato e que ele viva sempre dentro de nos...
    Dalmo Sergio.

  • perfeito... simplesmente perfeito!!!

  • Li em algum lugar que essa música foi feita para um ex-namorado dele, que teve de voltar pros EUA, aí então é o metal contra as nuvens, o avião.

  • quase acreditei na sua promessa ... ele esta falando de Deus . não faz sentido ?

  • Atualíssima!
    Amanheci cantando essa música hoje, dados os resultados das nossas eleições para presidente da república. Interessante pensar que Collor foi apenas um personagem, a história continua a mesma, só mudaram os atores.
    Parabéns pela análise!
    Acredito que muitos de nós, brasileiros, sentem-se como esse guerreiro, pronto para erguer a espada (o pode de decidir o futuro) e vencer a guerra (contra todas as nossas mazelas)! Será que um dia conseguiremos? Renato Russo se foi, ficaram suas palavras de esperança e seu chamado ao combate! Linda música, lindas palavras!

  • ainda acredito que a temática seja relacionada com o HIV, que provavelmente foi a época que se viu com o vírus. Renato Russo faleceu em 1996 (em média uma pessoa vivia por 10 anos, até o sistema imune cair - isso porque não havia a medicação que existe hoje). A letra toda encaixa nesse sentido. "Ninguém senhor do meu domínio".. ele ja começa a música colocando que assume a responsabilidade de ter contraído, e quando diz que é "metal" é porque é a resistência. Ouro do brasão, a parte mais nobre. O refrão é uma autoafirmação. Ele fala de sua terra que é seu lar, não no sentido físico, mas metafórico, seu refúgio diante dos "dias desleais". "Por Deus nunca me senti tão só" também narra o desolamento de uma pessoa que recém descubriu estar com uma doença devastadora. Não me recordo de outra música que consiga narrar algo proximo como essa. A "traição" seria na infecção.. alguém que deixa de usar preservativo em um relacionamento, e é infectado por um parceiro que não é monogâmico. Assim, "existem os tolos e o existe o ladrão". P mim fica mais claro na parte: "É a verdade o que assombra / O descaso que condena / A estupidez o que destrói/ Eu vejo tudo que se foi/ E o que não existe mais". Mas ele luta, e continua resistindo. Porque ele é metal. Se vocês notarem o final perceberão que ela fala de esperança "e nossa história, não estará por avesso assim, sem final feliz". P mim é isso. Renato Russo nunca falou publicamente da doença, e se recolheu quando a doença se alastrou.. Como compositor não acho que ele deixaria de retratar essa fase difícil, de resistir. Mas claro que ele não iria falar de maneira tão clara e explícita. Bem é isso que eu acho.

  • Eu acredito que toda a temática do cd envolve o conhecimento sobre a doença que ele havia contraído. a maioria das musicas se encaixam se olharmos sobre esse foco. Mas gostei muito da interpretação sobre a situação política do Brasil.

  • Muito interessante a analise , iria até postar sobre no meu blog mas rs.
    Prefiro apenas elogiar você e visitar sempre aqui .
    Abraços ;*

  • Não acho difícil enxergar o povo brasileiro como um povo de honra. Afinal, tantas mães trabalham em dois empregos ou mais pra sustentar seus filhos. Tantos pais sofrem quando seus filhos se perdem no mundo do crime. Ainda que o país esteja sob influencia de governantes ruins, o povo, em sua essencia, a cada dia, segue acreditando que dias melhores virão. E não desistem de ser quem são. Percebo isso quando vejo uma pessoa vendendo pão em bicicletas, ou passando de carro vendendo comidas típicas. Se a situação estivesse realmente perdida, de forma generalizada, as pessoas buscariam o benefício próprio passando por cima dos outros.

    Em contra partida, hoje eu percebo que o povo elege governantes com os quais se identifica. Não é novidade as deficiências e necessidades da nossa sociedade, mas em todas as eleições o povo comete o mesmo erro. Confia em quem não deve acreditar. Manifestações são necessárias para a transformação de um país. Mas essa manifestação deve, de fato, se manifestar em suas vidas. As pessoas precisam parar de furar filas no cinema, tentar subornar o policial, não aceitar quando dizem que no Brasil não há chances de ser alguém capaz de influenciar o mundo ou outros países. É necessário sair da zona de conforto e tomar as rédeas do nosso futuro. Nossos filhos dependem disso.

    Confiar mais no senso ético e acreditar que possa haver um resgate moral da cultura do nosso país é fundamental, mas também leva tempo.Hoje damos os primeiros passos do resto da nossa história. Teremos coisas bonitas pra contar (se nos movermos). Não é preciso conhecer a fundo a política; mas ter noção social dos problemas que nos atingem todos os dias, e assumir a responsabilidade de nossos atos. Afinal, quando o guerreiro deseja ter sua espada em mãos, precisa ser capaz de suportar seu peso e as consequências de seu uso.

  • Só um pitaco... Acho que o dragão da música se refere à hiper-inflação vivenciada durante td a década de 80. Que, inclusive, recebeu o nome de dragão da inflação. Talvez esta denominação tenha servido a Renato como gancho para dar esse pano de fundo medieval para a musica.

  • Escutem novamente a música pensando nos cavaleiros templários da idade média.
    Esta letra é realmente coisa de gênio, que pode ser encaixada em dois momentos distintos da história.

    Saudades de nosso poeta Renato Russo.

  • Belíssima analise.....Mas descordo em partes dos fatos históricos. Creio que Renato faz uma critica em relação a invasão Europeia da America, no período das navegações. Quando ouço a musica me faz lembrar claramente da resistência dos povos indígenas em relação a dominação Europeia.

  • Interessante sua análise, mas conhecendo o Renato acredito que esta outra análise (http://crs284.blogspot.com.br/2010/12/metal-contra-as-nuvens-ordem-demolay.html) tem mais a ver com ele...
    Inteligentíssimo ao ponto de escrever esta letra.
    Abraço,

  • Interessante sua análise, mas conhecendo o Renato acredito que esta outra análise (http://crs284.blogspot.com.br/2010/12/metal-contra-as-nuvens-ordem-demolay.html) tem mais a ver com ele...
    Inteligentíssimo ao ponto de escrever esta letra.
    Abraço,

  • Caro Eduardo, adorei a interpretaçao. E como sempre digo, Renato Russo, sempre esteve e estará além dos nossos dias!

  • Caro Eduardo, adorei a interpretaçao. E como sempre digo, Renato Russo, sempre esteve e estará além dos nossos dias!

  • Olá amigos!! Fiz parte de um fá-clube da Legião Urbana, cujo nome era Metal contra as nuvens, mantenho ainda muitos amigos que faziam parte deste. Alguns deles, tiveram muito contato com Dado, Bonfá e o próprio Renato, que em uma das oportunidades, revelou a um membro do fã-clube que a letra da música havia realmente uma critica, um lamento e uma mensagem de esperança nas suas entrelinhas como de costume, mas, que foi escrita sobre o filme EXCALIBUR.. Baseando-se na saga do Rei Arthur.. De qualquer forma, muito boa a interpretação acima, assim como de outros nos comentários, com exceção do rapaz católico que viajou na maionese totalmente!! kkkkkkk

  • Bem muito interessante, penso que a letra da margem para as três interpretações 1-Sua luta contra o sistema governo,injustiça,collor, corrupção, 2-luta contra a doença HIV, 3-luta com Deus, fazer sua propria vontade. acreditar, ter fé. só não sei realmente sobre qual ele .

    Parabéns por cada interpretação.

  • Gostei muito de sua interpretação da musica de Renato Russo "Metal Contra as Nuvens " #Eduardo-Mendes, acho que este deve ter sido um estudioso da Bíblia por relatar sobre o " dragão " {Apocalipse 16:13-16 } " E da boca do dragão , e da boca da besta , e da boca do falso profeta vi sair três espíritos imundos , semelhantes a rás .Porque são espíritos de demônios, que fazem prodígios ; os quais vão ao encontro dos reis de todo o mundo , para os congregar para a batalha , na quele grande dia do Deus todo- poderoso. Quer dizer que o os governos tem influencias sim com os Satanás o diabo o dragão .Parabéns pelo blog..

  • Gostei muito de sua interpretação da musica de Renato Russo "Metal Contra as Nuvens " #Eduardo-Mendes, acho que este deve ter sido um estudioso da Bíblia por relatar sobre o " dragão " {Apocalipse 16:13-16 } " E da boca do dragão , e da boca da besta , e da boca do falso profeta vi sair três espíritos imundos , semelhantes a rás .Porque são espíritos de demônios, que fazem prodígios ; os quais vão ao encontro dos reis de todo o mundo , para os congregar para a batalha , na quele grande dia do Deus todo- poderoso. Quer dizer que o os governos tem influencias sim com os Satanás o diabo o dragão .Parabéns pelo blog..

  • a muito mim inspiro em metais conta as nuvens para lutar e vencer todos os dias.meu hino.

  • Existe ainda na música uma versão ou citação da Canção do Exílio, que remete ao romantismo brasileiro: "Minha terra é a terra que é minha/ e sempre será/ Minha terra tem a lua tem estrelas/ e sempre terá".

  • gostei muito adoreiiiiiiiiiii essa interpretacao

  • Maravilhoso

  • Show!

  • Show!

  • Gostei muito do que li de todos ai encima. Nunca saberemos ao certo o sentimento de Renato Russo. Ainda acredito que é uma mistura de tudo... O Brasil naquela época as críticas que até hoje são válidas, o sentimento de impotência que ele sentia ter contraído o vírus, o sentimento que tinha por alguém que roubou seu coração que o enganou sua alma com prazeres e vários outros fatos. Histórias e estórias de sua vida que descrevia com analogias, simbolismos e algumas vezes bem direto quando queria mas sempre muito intenso em suas emoções. Não é atoa que ele se colocou sendo Metal. O metal atrai o raio,o relâmpago e o trovão que são produzidos pela nuvem. É quase impossivel vencer a força da natureza.(sua natureza, o vírus ou o Sistema) Mas ele está lá com a espada em suas mãos disposto a tentar e a vencer. O metal é sempre símbolo de força seja em uma espada para morte ou nobreza em um brasão. Ele Renato Russo (metal) sempre provocará em nossos corações um turbilhão de sentimentos de inquietudes de nossa alma (raios relâmpagos e trovões) que são puros verdadeiros e nobres, como o amor,a esperança e o patriotismo. Vamos vencer o Dragão de cada dia... Vamos provocar as nuvens... Vamos ir contra tudo que é corrupto e feio. Vamos a favor do amor... O mundo começa agora, mude agora seu pensamento... A interpretação é livre. Apenas começamos. Fica aqui minha homenagem ao mito Renato Russo. Um abraço a todos... Karen Passe

  • Acredito mesmo q tenha a inspiração no Excalibur. Ele fez uma releitura medieval contrastando com seus dias atuais da época e suas lutas internas... (obs. Realmente viajaram na maionese kkkk, mas tmbm não descarto a questão bíblica. Pois os conhecimentos bíblicos dele estão em várias canções, pois as lutas internas dele também era de cunho espiritual. Ele "enfrentando" Deus com suas indagações e tentando vencer a morte.

  • Concordo plenamente... E tem ainda o viez melancólico de um grande amor que o traiu a confiança.

  • Concordo tmbm... Ele mistura um pouco de tudo. Ele faz várias analogias, metáforas e releituras de algumas obras poéticas, contemporâneas dele ou bíblicas.

  • Eu peço permissão para usar sua análise na minha aula.

  • Seria loucura tentar decifrar a mente de um gênio como o Renato Russo. Estamos fazendo uma análise de uma simples música e essa análise gerou muitas conclusões, várias distintas. Grande poeta da música brasileira!

  • Faço 3* período de LETRAS PORTUGUÊS e estou usando essa letra, como exemplificação de qual importância tem o trovadorismo na literatura medieval para os dias de hoje. Obrigado, brilhante análise. Renato Russo deveria receber prêmio nobel póstumo por ter ajudado milhões de pessoas a sair da sua zona de conforto e refletir.

Postar um comentário

Comentem aqui o que acharam ou o que pensam sobre!