Seria suspeito falar que essa é uma das "mais lindas da Legião", se sempre digo isso nas minhas preferidas, mas essa realmente tem uma estrutura poética que é apaixonante, e nos dias apaixonados, pessoas apaixonadas se sentem inspiradas por esse ritmo, que se levado ao fundo, nos dá um contraste com a situação, ao meu ver, a música é uma separação, um afastamento, e alguém, assim como em "Os Barcos" sofre por uma ausência, que diferentemente da música citada, é um amor que passa por sua vida e o marca, e que o dá nostalgia.

Mudaram as estações
E nada mudou
Mas eu sei
Que alguma coisa aconteceu
Está tudo assim tão diferente...

As estações mudaram.
Os períodos mudaram, o frio, o calor, o sol e a chuva, as flores, e as folhas que caem mudaram de ciclo, e nada mudou.
Renato começa a música com algo extremamente poético, dizendo que tudo mudou, mas ele não percebe diferença nas mudanças, apesar de saber que alguma coisa aconteceu, porque sente que tem algo diferente no ar. As estações mudaram, e não houveram mudanças com elas, tudo ficou na mesmice, a saudade, a falta, e ele sabe, em seu íntimo que ago mudou, porque "está tudo assim tão diferente".

Se lembra quando a gente
Chegou um dia a acreditar
Que tudo era prá sempre
Sem saber
Que o pra sempre
Sempre acaba...

Renato aqui, diz para uma terceira pessoa, que sempre imaginei, sendo um reflexo pra dentro de si, como se ele sonhasse com essa pessoa e dissesse à ela dentro de si mesmo, perguntando se ela se lembra de como eles chegaram à acreditar, que "tudo era pra sempre", sem saber que o "pra sempre, sempre acaba"

Mas nada vai
Conseguir mudar o que ficou
Quando penso em alguém
Só penso em você
E aí então estamos bem...

Mesmo tudo que foi dito pra sempre durar, agora ter acabado, nada vai conseguir mudar o que ficou.
O que ficou, é o resultado das vezes de quando ele se pega pensando nessa terceira pessoa, e só então ele vê o quão bem estão juntos.

Mesmo com tantos motivos
Prá deixar tudo como está
E nem desistir, nem tentar
Agora tanto faz
Estamos indo de volta prá casa...

E mesmo com tantos motivos pra deixar tudo na mesmice, e continuar tocando tudo como se nada tivesse acontecido, e mesmo sem desistir e sem tentar, agora tanto faz. Agora ele se pega imaginando, indo de volta pra casa.


Análise e Texto: Eduardo Rezende


7 comentários to "Interpretação: Por Enquanto "

  • Eu gosto tanto dessa música! E, me desculpe a Cássia e o Renato (que achava a versão dela melhor), mas a original tem aquele clima lindo que tem o primeiro disco da Legião. Algo como o futurismo dos antigos videogames, uma enorme referência ao espaço, um clima astronáutico... Algo assim.
    Concordo com você, Eduardo. Quando falei dela lá no blog usei quase as mesmas palavras que você. É algo como 'os amores se vão e a vida continua'. Pq é assim mesmo, "tudo passa, tudo passará".

  • Thá, há quanto tempo!! rs.
    Realmente, pesquisei um pouco, e até não coloquei na postagem por ela não precisar de um complemento e ser pura por ser desse jeito, mas em uma entrevista, Renato diz que ela é um retrato de um rock diferente, trazendo um ritmo diferente de profundidade. E eu concordo com você: Enquanto com a Cássia fica algo como "o amor voltará para mim" por ser algo mais esperançoso, com Renato fica "estou idealizando um amor que já se passou", sendo algo mais triste e mais pé nas nuvens (ou no chão, com a cabeça nas nuvens, idealizando).

  • Bom, posso estar enganado mas sempre imaginei um Renato levemente Simbolista ao ouvir esta música. Quando se refere as "Estações" penso não só nos fenômenos naturais mas sobretudo no que eles representam para a poética introjetiva dos simbolistas no que concerne as fases da vida, do nascimento a velhice, assim como nas Estações da Primavera, Verão, Outono e Inverno.

  • Realmente teria um sentido crer que as estações se refeririam ao seu bem-estar espiritual (ou não), mas creio que Renato foi um pouco mais "correto", sem simbolismos (presentes, como você disse, em muitas músicas da Legião), dizendo então, que as estações, poderiam se referir às fazes da vida, e não dele próprio, ou como algo sendo mais real, no sentido de realmente o tempo passar e nada acontecer de novo.

  • Eu gosto da maneira como vc interpreta essa música, mas sempre vejo ela como uma canção de despedida da vida propriamente dita. Não simplesmente de amor. Mais como a morte, mesmo. A dor da perda e etcetera... As fases da vida passaram e nada mudou... Na primavera (infancia/juventude), a gente sempre acha que vai viver pra sempre e, geralmente, não conhece a dor de perder um ente querido... Nada mais apropriado pra um cara Super espiritualizado como o Renato russo em "ir de volta pra casa" no inverno... Abraços. Teu blog é mto bom!

  • amo essa música, linda demais!!! mas qual música será a melhor ?, qual será a minha música da legião preferida ? difícil heim ???

  • Boa noite..Eu acredito que a intenção da musica é espiritual e nao muito sobre amor.. "Mudaram as estaçoes"(a pessoa morreu, passou pro outro lado, como uma radio, quando muda a estaçao)... "Nada mudou"(porque do outro lado é igual aqui, na Terra), "mas eu sei que alguma coisa aconteceu, ta tudo assim, tão diferente"(a pessoa que morreu reconhece que nao esta mais viva, parece estranhar).. "Mesmo com tantos motivos para deixar tudo como está"(pra que lutar com o que nao da pra lutar, a morte.. "Nem desistir nem tentar agora, tanto faz, estamos indo, de volta pra casa" (Na verdade, o plano espiritual é a nossa verdadeira casa, ja que sabemos que estamos na Terra por um periodo, e que vamos morrer um dia(É a única certeza eu temos).

    Vejam a musica com este sentido espiritual que voces vão entender e sentir o tom da melodia. Até porque o Renato Russo era muito espiritualista.

    Abraços.
    Christiano

Postar um comentário

Comentem aqui o que acharam ou o que pensam sobre!