Sem dúvidas, uma das melhores músicas simbólicas.
O hino de uma geração, o retrato de um protesto, a fala de adolescentes sonhadores e esperançosos, e o melhor: Vindo de um dos melhores discos da Legião.
"Há Tempos", apresentada no "As Quatro Estações", nos dá toda a ideia de protesto jovem, nos dá a noção dos sonhos, de esperanças... Renato disse em 95: "Há Tempos começa tranquila; no final, eu estou me esgoelando. Mas, quando você vê aquele bando de ente catando 'Há tempos são os jovens que adoecem', não tem como não se emocionar". E o Mestre tinha razão, porque é impossível ouvi-la, e não querer cantá-la.
A letra é feita do diálogo entre Renato e uma outra pessoa, uma mulher, pois na letra, fica bem claro em certas passagens (como no fim), que ele conversa com ela, questiona, afirma, ensina, e ela passa algumas morais para ele. Segue-se a letra e interpretação:

Parece cocaína
Mas é só tristeza
Talvez tua cidade
Muitos temores nascem
Do cansaço e da solidão
Descompasso, desperdício
Herdeiros são agora
Da virtude que perdemos...

Creio que a frase com as palavras "Cocaína" e "Tristeza", refere-se literalmente a elas.
Parece o efeito das drogas, mas não, é só tristeza... Não é o efeito quem a deixou assim, é a própria desesperança e falta de alegria.
O termo "Cidade" refere-se ao grupo. Refere-se ao meio de convívio e locais onde a terceira frequenta e fica. Lembrando que a Cidade seria a proteção, os problemas sociais, só que aqui, não seria tão literal. Seria algo mais como "Talvez a tua tribo", "Talvez o teu grupo".
O cansaço, poderia ser o mesmo que Pitty diria em "Pulsos": Seria o tentar, seria a falta de esperança.
O cansaço, a solidão, o descompasso e o desperdício (de coragem, esperança) gerariam os temores que resultariam a "tristeza" que a menina sente. Em palavras mais simples: os temores próprios ou do mundo mesmo (a razão da fulga) viria do cansaço, desperdício, etc...
O "Herdeiros são agora/Da virtude que perdemos..." encaro como a geração próxima. Os herdeiros deles, as futuras gerações, seria a falta de virtude e valores, que se perderam anteriormente. Como em muitas músicas (que foram passadas), representam o Hoje: os valores anteriores, se perderam, e nós, somos herdeiros dessa falta de virtudes, valores, ética, moralidade e respeito.

Há tempos tive um sonho
Não me lembro, não me lembro...

Os sonhos serão tratados na música toda como a esperança e os planos futuros.
Aqui, a pessoa em questão (creio que Renato, pois ela (a pessoa) ainda aparenta ter esperança), mostra que há tempos (no passado), teve um sonho (um plano), e que hoje já não se recorda. Vemos então, que essa geração, a geração de herdeiros ("sem virtude" - reforço as aspas) não tem esperanças, nem sonham mais.

Tua tristeza é tão exata
E hoje o dia é tão bonito
Já estamos acostumados
A não termos mais nem isso...

Aqui fala novamente desses sonhos...
A tristeza é tão exata, tão "perfeita", tão exposta, que não tem lógica, afinal, o dia está tão bonito, tão propício, e isso é tão raro ("Já estamos acostumados/A não termos mais nem isso..."), que deixa tal tristeza sem rumo, sem lógica. Mostra aqui, a angústia, a falta de chances (estar triste quando se há poucos dias bonitos)...

Os sonhos vêm e os sonhos vão
E o resto é imperfeito...

Aqui, novamente encontramos os "sonhos".
Os sonhos, esperanças, planos... todos eles vêm, e todos eles vão... Do mesmo modo: Todas as chances vêm, todas as chances vão...

Dissestes que se tua voz
Tivesse força igual
À imensa dor que sentes
Teu grito acordaria
Não só a tua casa
Mas a vizinhança inteira...

Aqui, é minha parte preferidas. Desculpe se escrever algo grande ou complicado, mas é porque realmente tem muito à ser falado:
Renato era a voz de uma geração, e aqui, ele deixa isso bem claro, quando ele mesmo diz (Ela falando para Ele - Renato) que a voz dele tem a força igual à dor que ele mesmo sente. Ou seja: O meio de protesto dele, a voz, as letras, o canto, tem a mesma força, que o desespero, que a ira, que a raiva que ele sente. Em palavras melhores: ele cantaria com o coração. Ele cantaria com o que ele sente, em todos os pontos - para se encaixar na letra: cantaria com o que sente de desespero de falar ou sonhar.

E há tempos
Nem os santos têm ao certo
A medida da maldade
E há tempos são os jovens
Que adoecem
E há tempos
O encanto está ausente
E há ferrugem nos sorrisos
Só o acaso estende os braços
A quem procura
Abrigo e proteção...

Aqui, mostra qual o ponto em que se chegou.
Os santos já não tem mais a noção de maldade. Uma vez que para se ser bom, tem que conhecer o mau. Você jamais saberá do que gosta, se não provar ou não ter medida (noção).
Diz também, que os jovens andam adoecendo (como dito anteriormente, perdendo os sonhos, ou até no sentido literal, se drogando). Renato menciona o fato de os sorrisos estarem enferrujados, e o encanto estar ausente.
Aqui mostra que só o acaso, só a eventualidade, só por acaso, as pessoas estão estendendo os braços aos que procuram abrigo e proteção (ou seja, já não são mais receptivas, educadas ou gentis, escolhem (quando escolhem) as pessoas que querem ou não servir).

Meu amor!
Disciplina é liberdade
Compaixão é fortaleza
Ter bondade é ter coragem

Aqui, estão as frases mais lindas da Legião, a mais completa da música e uma das melhores do Disco (com tantas e tantas músicas lindas).
Renato diz à terceira pessoa:
"Disciplina é Liberdade": para ser livre, deve-se ter disciplina, ordem. E para ser disciplinado, você deve conhecer e ser livre.
"Compaixão é Fortaleza": para se ter fortaleza, deve-se ter compaixão. E para ser forte ou ter "fortalezas" (seguranças próprias, creio eu), deve-se ter compaixão.
"Ter bondade é ter coragem": Para ser bondoso hoje em dia, deve-se ser corajoso, e para se ter coragem, deve ser bondoso consigo mesmo, sabendo seus próprios limites, etc.
A frase se encaixa no hoje, e podem ser conselhos dele pra ela.

Eis então, que surge a frase mais curiosa, e que todos que analisam (todos mesmo, inclusive eu mesmo), param e pensam: Epa! É ai que está o X, é aqui que não consigo evoluir...
O que ELA quer dizer com:

 (Ela disse)
Lá em casa tem um poço
Mas a água é muito limpa...

Essa frase, seria a resposta para todos os comentários de Disciplina, Liberdade, Compaixão, Fortaleza, Bondade e Coragem.
Ela por sua vez, responde à ele, que em sua casa tem um poço, e que a água dele, é muito limpa. Porém, ela coloca um MAS, o que nos dá a impressão de contrariedade, de impossibilidade, portanto, o poço, não deveria ser limpo, deveria ser sujo...
Cidade, como disse, seria o termo do grupo, da tribo, da sociedade.
Casa, seria parte dessa cidade, seria cada indivíduo, tanto interiormente, quanto exteriormente, e creio eu, Renato aqui, quis mostrar o interior.
A casa tem um poço (eu sou um poço, ou seja: eu sou profundo, sou escuro, mas tenho algo dentro de mim), e a água que há dentro de mim, não é como todas as esperadas por ai... Em todas as "casas" (em todas as pessoas), andamos vendo poços sujos, poços sem esperanças... "O meu, seria um poço limpo, com esperança, com uma voz que ainda pode clamar, que tem força igual à minha dor", creio eu.



(Desculpem-me pela demora de postagem... muita correria, pressa, viagem... Tudo acabou não colaborando, mas cá estou novamente. Espero que tenham gostado! Comentem por favor!!)

Postado e escrito por: Eduardo Rezende.